Diálogos Contemporâneos - Por Richard Perassi

Esta exposição com obras de América Cardinal; Ana Cláudia Garcia Sakae; Evandro Prado; Jó Medeiros de Aquino; Marise Helena; Marta Silvério Nogueira; Nelson Vaz; Priscila Paula Pessoa; Tatiana Taeko Takey; Thiago Duarte Bakargi possibilita a reunião de artistas que, na sua quase totalidade, são ou foram alunos dos cursos de graduação e pós-graduação do Departamento de Artes e Comunicação da Universidade Federal de Mato Grosso do Sul.


O fato de essas obras serem agora apresentadas sob os mesmos signos institucionais evidencia que a ampliação e divulgação da produção artística local dependem, além de vocações e esforços pessoais, também da cooperação interinstitucional dos setores culturais, como a área de Artes Visuais da Universidade Federal e este Museu de Arte Contemporânea.

Os trabalhos aqui expostos apresentam técnicas, estilos e tendências diversificadas, embora todos sejam sustentados por concepções arrojadas, que orientam as artes visuais na contemporaneidade:

• América representa com muita expressividade figuras femininas sobre partes de jornais que oferecem serviços sexuais, propondo um sugestivo jogo conceitual entre palavras e imagens;
• Ana Cláudia apresenta objetos do cotidiano instalados e conjugados com materiais sintéticos, mas que sugerem substâncias orgânicas, provocando complexas sensações;
• Evandro constrói sua obra com a apropriação de símbolos nacionalistas e religiosos, aliando recursos de apresentação (colagem e assemblage) e representação (pintura);
• Jó imprime forte expressividade em tudo que representa, provocando nosso inconsciente individual e coletivo;
• Marise é a representante dos artistas que percorreram caminhos mais pessoais e não institucionais, apresentando trabalhos produzidos em diálogos com artistas reconhecidos como José Manoel de Souza Neto e Paulo Pasta;
• Marta recorta cenas do cotidiano urbano, de modo lírico e, ao mesmo tempo, dramático;
• Nelson revela a inquietação de uma mente criativa, tornando líricos e conceituais os aspectos mórbidos deste mundo;
• Priscila percebe, como percebeu Sigmund Freud, o profundo erotismo da mitologia grega e nomeia com termos mitológicos sua obra composta por corpos expressionistas;
• Tatiana é herdeira da tradição gráfico-gestual do Oriente;
• Thiago compõe paisagens urbanas ameaçadas pelas perversões tecnológicas.
Esses são os protagonistas desses diálogos entre as expressões locais mais recentes e as concepções artísticas que trazem consigo as marcas da cultura contemporânea.

Richard Perassi
Professor do Dep. de Arte e Comunicação-UFMS, Curador do Espaço-Arte Unimed, Doutor em Semiótica

* Exposição no Museu de Arte Contemporânea - MARCO, em Campo Grande – MS ; No período de outubro de 2004.