Artes que intrigam artistas, homens e crianças

Dentro do Instituto Luiz de Albuquerque, em Corumbá, estão expostos alguns dos trabalhos plásticos que fazem parte da programação do Festival América do Sul. Artistas da Argentina, Bolívia, Paraguai, Uruguai, Peru, Paraguai, Peru, Equador e Brasil encontram no espaço uma maneira de tornar concreta a mais abstrata das artes.

No ILA, estão expostas obras de Lídia Baís, artista plástica campo-grandense e uma das personalidades homenageadas pelo Festival. Suas obras transitam entre uma ingenuidade quase profana. Suas pinturas restauradas revelam um choque entre imagens inocentes e irônicas, mas sempre muito humanas. As obras de Lídia receberam um espaço especial, homenageando em memória a artista.

Fernando José Suárez, da Argentina, Gastón Ugalde, da Bolívia, Pavel Égüez, do Equador, Gustavo Nakle, do Uruguai, Juan Britos do Paraguai e Jesús Ruiz Durand, do Peru compõem as demais exposições do ILA. A arte dos artistas estrangeiros chama a atenção de levas de estudantes em excursão.

Lá, um misto de admiração e curiosidade mantém as crianças ocupadas em perguntar, enquanto alguns artistas tentam achar respostas para suas criações. Intrigado, o jovem estudante Ricardo Alves, de 9 anos, tenta buscar um entendimento sobre as obras do artista Evandro Prado, de 20 anos, e sua obra “Em terra de capitalista Coca-Cola é santa”. Em suas obras, ícones da cultura pop são colocados em altares, em substituição aos santos.

A pergunta vem rápida: “Porque essa garrafa tá no altar?” Evandro busca uma resposta enquanto jornalista e criança buscam o entendimento. Nos contentamos com uma. “A arte pode ser entendida por quem vê de maneira diferente como o artista entendeu”. Um sonoro “então ta” parece ser a autorização para vôo do menino.

Para o artista, a curiosidade é normal e muito bem vinda. “As respostas em alguns casos não alcança a imaginação das crianças, mas tentamos. Nem sempre conseguimos entender, quanto mais explicar o por que.”, afirma Evandro.

Além de Evandro Prado, que é de Campo Grande, participam do Panorama de Artes Plásticas Mato Grosso do Sul Ana Claudia Sakae, América Cardinal, Haroldo Garay, Irani Brun Bucker, Julio Cabral, Marta Nogueira, Neide Ono, Patrícia Rodrigues, Paula Nocera, Priscilla Paula Pessoa e Vinícius Ibanhez, único corumbaense a ter os trabalhos expostos.

O trabalho dos artistas plásticos pode ser conferido das 9h às 20h com entrada franca.


Marcio Breda, de Corumbá
Quarta-feira, 25 de Maio de 2005 (19h11)
Campo Grande News (www.campograndenews.com.br)