Obras dão teor "sagrado" a refrigerante e criam polêmica

O vereador Paulo Siufi (PRTB) comunicou, através da assessoria de imprensa, que vai fazer uma moção de repúdio à exposição Religião do Consumo, do artista plástico Evandro Prado, exposta desde quinta-feira à noite no Marco (Museu de Arte Contemporânea), em Campo Grande.


Evandro expôs 21 pinturas e 13 objetos (montagens de materiais). O trabalho é baseado em um texto do Frei Beto. “Ele constata que nossa sociedade cultua certas marcas como se fosse religião. Ela faz um culto a mercadoria e ao dinheiro. As pessoas tem trocado seus valores”, diz.

Para o artista, que teve a ousadia de substituir o sagrado coração de Jesus por uma latinha da coca-cola, católicos como o vereador Paulo Siufi não entenderam a mensagem contida na obra.

O artista diz que é cristão e defende o direito do vereador de ser contra a sua obra. No entanto, ele diz que tem recebido mensagens eletrônicas de muitas pessoas que o chamam, entre outras coisas, de nazista e amigo do demônio. “É desagradável receber esse tipo de e-mail; saber que tem pessoas que estão me odiando”, afirma.

Ele estima que cerca de 500 pessoas já tenham visitado a exposição; 300 delas na abertura. A previsão é de que a exposição Religião do Consumo continue até o final de junho.

No entanto, Paulo Siufi pretende usar a tribuna da Câmara de Campo Grande amanhã para pedir o cancelamento da exposição.

Paulo Fernandes
16 de maio de 2006 (18:32)
Campo Grande News (www.campograndenews.com.br)