Santa Inquisição no século XXI - Por Almir Farias da Cunha

O universitário, pesquisador e artista plástico campo-grandense Evandro Prado, provavelmente experimentou uma sensação semelhante ao do escritor inglês-indiano Salman Rushdie. Para quem não sabe, Salman escreveu um livro na década de oitenta, que despertou a ira do líder iraniano xiita, o aiatolá Khomeini, que por considerar a obra ofensiva ao Islã condenou-o à morte. Salman foi obrigado a viver com identidade falsa e na clandestinidade.


Evandro, por sua vez, produziu uma série de imagens em uma coletânea que reúne pinturas e montagens, que ora estão expostas no MARCO – Museu de Arte Contemporânea, em Campo Grande. A obra recebeu a denominação de “Religião do Consumo”, onde a coca-cola surge como ícone e objeto da adoração. As obras de Evandro causaram impacto. A imprensa da capital registrou que o artista foi violentamente atacado na Tribuna da Câmara Municipal, pelo vereador Paulo Siufi.

Por este tipo de reação, é possível traçar alguma semelhança entre Salman e Evandro. Os dois produziram obras polêmicas, chamaram a atenção para reflexões e foram vítimas do fanatismo implacável. Evandro só não foi condenado à morte pelo vereador Paulo Siufi (por enquanto). Há notícias de que o parlamentar pretende apresentar um Voto de Repúdio à exposição e que ainda tentará suspender sua exibição pública.

Os Tribunais da Santa Inquisição foram ressuscitados. O obscurantismo da Idade Média volta a assombrar a humanidade em pleno século XXI e a intolerância religiosa mostra suas garras. Ouse pensar que a Terra é redonda e serás condenado à fogueira, ouse pensar tão somente e serás queimado nas labaredas do inferno. Incrível como a arte encontra reações violentas de setores sectários e dogmáticos.

Um representante do Poder Legislativo Municipal, de um país que constitucionalmente é um Estado Laico, deveria debruçar-se sobre os graves problemas de Campo Grande, uma cidade que não possui sequer uma rodoviária decente. Cidade que apresenta um transporte coletivo desumano e um centro quase intransitável e sujo, muito sujo. Cidade que tem canteiro de grama no cruzamento da avenida Barão do Rio Branco com a rua Vinte e Cinco de Dezembro, praticamente em cima da faixa de pedestres.

Estamos vivendo momentos difíceis em que as instituições estão desacreditadas, inclusive as igrejas. Nunca se viu tanta promiscuidade. Um padre de Miranda foi flagrado em um motel, no município de Anastácio, com a mulher de um marido ciumento que quase o matou após o flagrante, outro foi acusado de molestar crianças na cidade sul-mato-grossense de Dois Irmãos do Buriti. São momentos difíceis estes que vivemos. Muita violência, drogas, analfabetismo, corrupção, racismo, que atuam como adubos germinando intolerância.

Por outro lado, Evandro e Salman mexeram na ferida. Mesmo com a reação truculenta, o resultado acaba sendo positivo, a reflexão é inevitável. O mais interessante neste julgamento da Santa Inquisição do século XXI é que o próprio Evandro anunciou ser cristão e considera legítimo o direito do vereador protestar contra sua obra. O ideal seria deixar a Idade Média nos livros de história.


Almir Farias da Cunha (Funcionário Público)
Neiva Valadares (Estudante da UFMS)
20 de Maio de 2006 - www.campograndenews.com.br