Processo contra “santificação” da coca-cola é arquivado

O processo movido pelo arcebispo de Campo Grande Dom Vitório Pavanello contra o artista Evandro Batista Prado pela exposição Habemus Cocam foi arquivado na última quinta-feira. Na ação cautelar, o arcebispo alegava que a exposição, que chegou a ficar no Marco (Museu de Arte Contemporânea), em Campo Grande, estaria “causando impacto moral e emocional negativo na comunidade local, especialmente na religiosa católica", já que as obras “misturam latinhas e logotipos do refrigerante da marca 'Coca-Cola' com imagens de santos”, o que caracterizaria desprezo às imagens sacras.


Na ação, o arcebispo pedia seqüestro e apreensão das obras, e que fosse impedida qualquer exposição similar no Marco. Mas na audiência preliminar na 2º vara do juizado especial criminal, o juiz de direito da 2ª vara do juizado especial criminal, da comarca de Campo Grande, Paulo Rodrigues, deu o processo como arquivado, seguindo pedido da promotoria.

Segundo o artista Evandro Prado, a própria promotoria viu que não houve intenção de trazer ofensas às imagens sacras.


Paulo Fernandes
24 setembro de 2006
Campo Grande News (www.campograndenews.com.br)