Artista retrata em Corumbá a “culpa do cristianismo”

Polêmico, o campo-grandense Evandro Prado terá um dos seus trabalhos expostos no Festival da América do Sul, em Corumbá. A exposição, cuja abertura será no próximo dia 15 de agosto, acontece mais de um ano após a inauguração da exposição Habemus Cocam, sobre religião e consumo.


Desta vez, Evandro promete apresentar “um trabalho mais sutil”: um Jesus Cristo feito de pregos enferrujados, deitado no chão. Os pregos representam à culpa do cristianismo. “Não é tão chocante quanto o papa morto segurando uma coca-cola”, diz. “(Para o cristianismo) todos nascem do pecado e para o pecado. O pecado está até no pensamento”, acrescenta.

Em maio de 2006, a exposição Habemus Cocam causou revolta entre os católicos ao dar teor sagrado a um refrigerante. Nos objetos, o sagrado coração de Jesus chegou a ser substituído por uma latinha da coca-cola e o papa João Paulo II aparecia morto segurando o refrigerante. O arcebispo de Campo Grande, Dom Vitório Pavanello, chegou a entrar na Justiça contra a exposição alegando que ela estaria “causando impacto moral e emocional negativo na comunidade local, especialmente na religiosa católica\\\".

Além da exposição em Corumbá, trabalhos do artista sul-mato-grossense ficarão expostos também no Salão de Arte em Fortaleza (CE) e em São Bernardo do Campo (SP). O tema é o mesmo.

Em Fortaleza, a sombra do papa Bento 16 aparecerá no piso e na parede. No chão, a sombra será de pregos. Em São Bernardo do Campo, a imagem será de Nossa Senhora, caindo (a imagem apresenta uma inclinação de 70º). A sombra dela também será de pregos.

Bento 16 – Programado inicialmente para o mês de agosto, a exposição no Marco (Museu de Arte Contemporânea), em Campo Grande, sobre a visita do papa Bento 16 foi prorrogada para dezembro. Evandro Prado está reavaliando o tema da exposição.


Paulo Fernandes
26 de Julho de 2007
Campo Grande News (www.campograndenews.com.br)