Lista pulverizada

O 58º Salão de Abril anuncia os selecionados. Entre eles, artistas não só do Ceará, mas também de outros Estados do País

Depois de três dias (entre quatro e seis deste mês) dedicados à avaliação dos inscritos na 58° edição Salão de Abril, Cauê Alves, curador do Clube da Gravura do Museu de Arte Moderna de São Paulo; Bitu Cassundé, que por oito anos trabalhou no Mac do Dragão; e Cristiana Tejo, atual diretora do Museu de Arte Moderna Aloísio Magalhães - Mamam, no Recife, anunciaram o veredicto. Foram escolhidos 31 artistas (sendo uma dupla) e 30 obras. Os trabalhos serão expostos no Museu de Arte da UFC (Mauc) a partir do dia 16 de agosto, dia da premiação.


Na ocasião, os selecionados receberão a quantia de R$ 1.550, referente à seleção. Para três destes, o prêmio terá um acréscimo de R$ 9 mil, a ser usado em uma pesquisa de quatro meses, que culminará numa exposição coletiva em seguida. A comissão julgadora se reunirá mais uma vez depois de montada a exposição para selecionar estes trabalhos. Ana Waleska Maia, curadora e organizadora do Salão, lembra que “o trabalho montado tem outra dimensão. Os aspectos técnicos, por exemplo, são melhor observados quando ele é exposto”. Essa segunda premiação estava prevista no Edital do Salão.

Entre as obras, objetos, instalações, fotografias, vídeos, performances. São dez representantes do Estado (nomes de gente mais jovem, como Murilo Maia, e de mais experientes, como Euzébio Zloccowick estão na mesma lista), enquanto os outros 20 são de vários estados do País - a maioria de São Paulo, com cinco trabalhos selecionados.

Entre a lista de selecionados, artistas que atualmente “são parte de um recorte da produção atual da arte feita no país”, como a define a curadora Ana Waleska. Ela trabalha ao lado de Maíra Ortíns, ambas responsáveis pela organização do evento e pela curadoria da exposição.

Bitu Cassundé, um dos integrantes da comissão julgadora, afirma que ficou impressionado com o fato de artistas de carreiras consistentes terem enviado seus trabalhos. “O júri, observando as diferentes poéticas, buscou fazer algo coerente”, explica o jurado. Ele ressalta, ainda, que as linguagens foram bastante diversificadas e que o novo conceito do Salão foi um avanço. “Com essa nova proposta, de fazer um mapeamento da produção contemporânea nacional, há o desenho de um panorama do que está acontecendo na arte contemporânea”. Levado ao Mauc, o Salão de Abril fica em cartaz de 16 de agosto a 30 de setembro.

SELECIONADOS

Bruno Faria (SP)
Bruno Vieira (PE)
Celso Oliveira (CE)
Chico Togni (SP)
Daniel Murgel (RJ)
Ding Musa (SP)
Elton Lúcio (MG)
Euzébio Zloccowick (CE)
Evandro Prado (MS)
Fábio Tremonte (SP)
Flavia Bertinato (MG)
Francisco Zananzanan (CE)
Gaio (BA)
Grupo Acidum (CE)
Hugo Houayek (RJ)
Janaina Barbosa e Natália Nunes (CE)
Járed Domício (CE)
Jussara Correia (CE)
Laerte Ramos (SP)
Maíra das Neves (GO)
Marcelo Gandhi (RN)
Marcos Martins (CE)
Matheus Rocha Pitta (MG)
Murilo Maia (CE)
Nelton Pellens (RS)
Romano (RJ)
Thiago Honório (MG)
Viviane Gueller (RS)
Waléria Américo (CE)
Zé Antonio Lacerda (SC)


11 de julho de 2007.
Diário do Nordeste