Corumbá: artista retoma polêmica com religião

A culpa do Cristianismo no mundo moderno. Essa é a melhor definição para a instalação “Poenitentia” do artista plástico campo-grandense Evandro Prado, que integra a exposição de artes plásticas “Confluências da arte na América do Sul: cada lugar uma história, cada história uma herança”, da quarta edição do Festival América do Sul (FAS).


Exposto na Casa de Cultura Luiz de Albuquerque (ILA), o trabalho consiste num desenho, em tamanho natural, de Cristo crucificado, colocado na horizontal, na altura do chão. A imagem é feita a partir de pregos enferrujados e, do teto, pendem alguns pregos em direção à figura. “São 30 quilos de pregos enferrujados, de diversos tamanhos, que formam o desenho de Jesus Cristo crucificado no chão”, explicou o artista.

“Poenitentia” – palavra do Latim que significa penitência – é um trabalho inédito do artista que ficou conhecido pela polêmica série “Habemus Cocam”, em que latinhas de refrigerante Coca-Cola tomam o lugar de símbolos religiosos. “A idéia do Poenitentia é de uma nova série que estou desenvolvendo, chamada Corpus Christi”, esclareceu. “Vou investigar as possibilidades dentro do Corpo de Cristo e falar de culpa; de chagas; de dor. Por isso que eu uso muito o prego”, disse.

“Esse trabalho representa a culpa e a dor carregada pelo Cristianismo. Esse Cristo não é um Cristo de flores; é um Cristo de prego de dor. Esse prego é a dor; sofrimento; angustia e culpa. É a culpa do Cristianismo. A culpa desse Cristianismo desde os pecados da Igreja e também a culpa que o Cristianismo impôs na sociedade, por você nascer, por exemplo, do pecado, você é um pecador de nascença. Com esse trabalho faço uma crítica à Igreja, ao contrário do anterior, o Habemus Cocam, que nada tinha a ver com a Igreja, eu apenas usava imagens religiosas. Tem que ser respeitada a minha liberdade de tratar desse tema”, afirmou.

Evandro Prado destacou que outras duas obras desta série estão expostas em Fortaleza (CE); São Bernardo do Campo (SP) e Cuiabá (MT). Ele enfatizou ter outras dez em casa.


Marcelo Fernandes, do Diário Corumbaense
17 de agosto de 2007
Campo Grande News (www.campograndenews.com.br)