MARCO inicia a temporada 2008

Três mostras abrem a temporada que começa com Evandro Prado, Marcelo Buainain e acervo do museu.


A temporada de 2008 de exposições começa amanhã no MARCO, com três mostras. A inauguração acontece às 19h30 com: “Índia – Quantos olhos tem a alma”, fotografias de Marcelo Buainain, “Estandartes” de Evandro Prado; e “Esculturas e objetos do acervo do Marco”.

Nas obras de Evandro Prado, imagens dos santos católicos são desconstruídas e reconstruídas com outros materiais e procedimentos. Sobre os suportes de tecidos diversos, objetos como terços, medalhas devocionais, munição para armas, pintura e oxidação, costura e bordados são empregados na reformulação dos ícones que convivem com armas brancas e de fogo, com objetos de aprisionamento e de tortura e com elementos decorativos que remetem aos oratórios barrocos.

Segundo o crítico Divino Sobra, é das necessidades e insatisfações espirituais e materiais da cultura ocidental cristã que trata a obra de Evandro Prado. “Nela questões advindas da religião, da política e do mercado cruzam-se na tessitura de um discurso plástico que reúne elementos extraídos da tradição a outros retirados do contexto atual”, ressalta Sobral.

Com trabalhos apresentados nesta exposição Evandro desdobra sua pesquisa sobre os ícones do catolicismo, atualizando um gênero da tradição pictorial ocidental que estava esquecido e o contextualizando dentro de um quadro de angústias e ansiedades da cultura contemporânea.

Nascido em Campo Grande, Evandro Prado é bacharel em artes visuais pela UFMS, tendo já realizado exposições individuais e coletivas. Ele teve destaque na imprensa local quando lançou a série “Habemus Cocam”.

A marca Coca-Cola, que para o artista representa a força do consumismo globalizado, foi o elemento que deu unidade à série, fazendo variações da marca relacionando-a com conhecidos personagens políticos e religiosos. Na época chegou a ser processado pela Igreja Católica, ação que foi arquivada em 2006.


Campo Grande, segunda-feira, 31 de março de 2008.
Jornal Folha do Povo