Místico e religioso

“Estandartes”, do artista plástico Evandro Prado, e “Índia”, do fotógrafo Marcelo Buianain, integram mostra.


O religioso e o místico vistos pela ótica de artistas que fazem críticas sociais e culturais será o tema da nova temporada de exposições do Museu de arte contemporânea , que estréia na terça (1º de abril), às 19 horas. O artista plástico Evandro Prado vai expor sua nova série “Estandartes” e o fotógrafo Marcelo Buainain a mostra “índia – Quantos olhos tem uma alma”. A exposição fica em cartaz até o dia 15 de junho. O evento tem entrada fraca. Além das obras dos dois artistas, “esculturas e objetos do acervo do Marco” estarão expostos.

Evandro Prado

Já a série “Estandartes” é a mais atual produção do jovem e polêmico Evandro Prado, criada em 2008. Ao todo são 18 estandartes de 1,40m de altura por 1m de largura que dialogam sobre a violência na sociedade cristã. “O trabalho é provocativo e com ele continuo a mostrar o resultado do meu processo e investigação de imagens religiosas, tema que permeia minha obra há uns 5 anos”, esclarece o artista o artista. Em 2006 membros da Igreja Católica tentaram processar criminalmente Evandro por “vilipendiar publicamente imagens sagradas” em seus quadros da série “Habemus Cocam”, que combinam imagens de santos com Coca-Cola.

Os estandartes são feitos de materiais comuns em casa brasileiras, como tecidos utilizados em sofás, panos de pratos, colchas e rendas. Mesclados com outros materiais, como tinta acrílica e, até mesmo, balas de revólver. “Escolhi mostrar a violência desta forma porque estandartes são elementos históricos e comuns, utilizados em representações religiosas. O tecido leve ajuda a representar o cotidiano e mostra como a vioência é tratada por todos como coisa normal, do dia-a-dia, mas, não deveria ser”, explica. Ele comenta que por meio de bordados finos e delicados mostra a relação da religião com a violência. “Há até santos empunhando armas”, avisa.


Manuela Barem
Sábado, 29 de março de 2008.
Jornal O Estado de Mato Grosso do Sul