Evandro Prado expõe na Capital

A polêmica série "Habemus Cocam" está de volta, mas com cinco telas inéditas

O artista plástico campograndense Evandro Prado, mais uma vez, expõe suas obras na Cidade Morena. Em comemoração ao aniversário de 110 anos da Capital sul-matogrossense,Prado desenvolveu cinco telas inéditas para acrescentar na exposição "Habemus Cocam". "Campo Grande é uma das cidades que mais sou apaixonado. Aqui se encontram todas as pessoas que eu mais amo e que sempre me apoiaram. Sempre que posso, faço questão de vir para cá", revela o artista que está morando em São Paulo, durante entrevista exclusiva ao jornal O Estado. A abertura da exposição será realizada hoje, a partir das 20 horas, no Espaço Cultural SIS Lounge Bar. A entrada custa R$ 10 (inteira) e R$ 5 (meia).


Considerado polêmico, o artista plástico não hesitou em construir mais três telas durante a temporada de duas semanas que esteve na Capital,que somam a série que lançou o artista na mídia das artes, "Habemus Cocam"."Vim para o aniversário da minha mãe e logo que houve o convite do espaço cultural, me veio inspiração para concluir algumas telas que tenho certeza que combinam com o local", explica Prado, em relação à exposição.

Ele afirma, ainda, que as criações atemporais surgiram mediante a saudade que tem de sua terra natal e na vontade de pintar que se encontrava. "Faz mais ou menos um ano que estou sem pintar. Depois da criação da série 'Barroco' me empenhei no curso para artistas contemporâneos que pratico em São Paulo e só me animei aqui, perante a exposição que estará circulando", revela. As telas inéditas são: "A Benção I", "A Benção II", "Sistina IV", "Sistina V e VI" e "Davi".

EXPOSIÇÃO
Além das três telas criadas em um curto tempo, Prado disponibilizou mais duas outras que não haviam sido divulgadas até o momento. Outras sete obras da série vieram da capital paulista para compor a exposição. "Acredito que quanto mais próximo do público a obra de arte estiver, maior o retorno e interesse das pessoas com as criações dos artistas plásticos; e, essa invasão das artes dentro de bares, restaurantes e lanchonetes além de dar uma amplificada no visual do local, torna a obra de arte mais acessível ao público", ressalta. O valor das telas está em torno de R$ 500 a R$ 1 mil e a exposição fica cerca de 90 dias.

TRAJETÓRIA
Aos 23 anos, Evandro Prado já tem um certo respeito no meio artístico de Mato Grosso do Sul. Suas criações ultrapassam fronteiras entre o "ser" e o "acreditar" e acabam polemizando temas que afrontam a sociedade, principalmente cunhos religiosos. "Não delimito um tema e construo uma série, apenas uso a arte para ironizar algumas questões que a sociedade abomina", detalha Evandro. Suas séries já percorreram galerias de diferentes regiões do País. Em Mato Grosso do Sul, o artista plástico participou de festivais renomados como o "Festival América do Sul", de Corumbá e "Festival de Inverno de Bonito". Formado em Artes Visuais pela Universidade Federal de Mato Grosso do Sul (UFMS), Evandro Prado é tido como um dos artistas regionais que mais atuam na cena atual. Esteve à frente de séries menos polêmicas como: "Fé na Tábua" e "Alegorias Proféticas". Em 2006, a série "Habemus Cocam" causou confronto com religiosos e políticos da Cidade Morena. Ele chegou a ser processado pelas imagens que retrata como: Papa João Paulo II, Nossa Senhora, Che Guevara, Fidel Castro, entre outros; todas telas com a mensagem da marca Coca-Cola. "É praticamente um manifesto pela troca de valores.
Tanto a Igreja quanto à Coca-Cola são acessíveis a massa, estava registrando isso de uma maneira artística e nem imaginava essa repercussão toda", avalia. O artista garante que as ofensas que recebeu só contribuíram com a repercussão que teve perante o Brasil. "Muitos pensam que foi estratégia de marketing. Talvez se tivesse
sido, não teria dado tão certo. Eu não faço artes por fazer, tem que ter um contexto e tem que ter um significado que cause uma reflexão às pessoas", justifica.

SERVIÇO - A abertura da exposição "Habemus Cocam" começa hoje, às 20 horas, no SIS Lounge Bar que fica na Rua Dr. Zerbini, nº 53, Chácara Cachoeirinha. Mais informações pelo site: www.sislounge.blogspot.com ou pelo telefone: (67) 9212-9593.


Carol Alencar
26 de agosto de 2009
Jornal O Estado de Mato Grosso do Sul