Exposição: The dirty and the bad from São Paulo to Svendborg

Coletiva
SAK Kunstbygning
Svendborg - Dinamarca, de 25 de junho a 7 de agosto de 2011.

Instalação
“Peccatoribus”, 2011
Estandartes bordados
2,50 x 1,0 x 5,0 m









Feios, Sujos e Malvados

São Paulo é uma cidade cinzenta. Ser artista em São Paulo é uma atividade  cinzenta. Os 21 artistas que integram a exposição coletiva aqui proposta trabalham em São Paulo, sendo que alguns deles vivem em cidades próximas a SP, como Campinas e Santos, e alguns são nascidos em outros Estados, como Bahia e Mato Grosso do Sul, daí a presença pontual de alguma cor nas obras apresentadas no presente projeto. A cor, quando envereda pelas obras de arte paulistanas, é pela contaminação por influências e misturas de cidades mais solares, mais ardentes e menos monocromáticas.Obviamente, Feios, Sujos e Malvados não tem a pretensão de explicar ou sintetizar essa mestiçagem cultural. E, sim, colocar em questão as frestas intertextuais que a mistura de tradições causa na cena contemporânea de arte em São Paulo, apresentando percursos de pesquisas, ora formais, ora conceituais, que lidam com o contexto de se trabalhar sob o céu cinzento da cidade. Trata–se aqui de propor dúvidas e respostas provisórias em que um grupo de artistas está imerso nesse momento. O grupo desdobra repertórios da arte do século 20, explora e mergulha em possibilidades da matéria, do espaço, dos conceitos, ou, mesmo, sobre a natureza da arte.

Juliana Monachesi e Marília Salles