Exposição: #DeslocamentoBrasília

Coletiva
Casa da cultura da América Latina (UnB)
Brasília – DF, de 12 de Julho a 18 de Agosto de 2013.


Instalação
“Sede Vacante II”, 2013
Escultura de madeira, tecido papel e espuma
6 metros quadrados









Deslocamento*

Não se trata de um tema. Antes de tudo é uma oportunidade para pensar, para tentar organizar-se fora dos limites habituais. Um projeto poético corre sempre muitos riscos, um deles é o de repetir-se. É o perigo de olhar sempre do mesmo ponto de vista, tratando do que se vê, com os recursos de sempre.

O deslocamento, assim como as parcerias, são tentativas auto impostas de ampliar o espaço que disponibilizamos para construir um pensamento, um olhar, uma atitude, uma forma…

Falar de Brasília, falar para Brasília, falar em Brasília, é uma mistura do que pensamos que sabemos, com o que fizemos, com o que viveremos no encontro. Um encontro em grupo, muitos encontros para colocar em cheque os limites de cada olhar. O deslocamento como a busca de uma mentalidade deslocada. É possível ampliar?

Seguindo a vocação do grupo, o aluguel de uma casa (Aluga-se), de um museu (Marco Alugado), de uma galeria (Aluga-se Ville), há agora o desafio de alugar um espaço que é o da universidade, da universalidade, o todo, o inteiro.

Na tentativa de tornar-se um, reverenciando o espaço que agora nos recebe, as obras aqui apresentadas parecem posicionar-se em sua maioria, deslocadas entre a ficção e a meio caminho da história real.

Há investigações entre e a infância real e a idealizada, entre questões políticas brasileiras e uma falsa ciência, entre personagens de animação e paisagens reais…

Entre a parábola e a história real, entre São Paulo e Brasília, entre o artista e o grupo, está presente o exercício do deslocamento como parte da desorientação que nos move.

Renata Cruz

*Texto sobre a exposição coletiva